Aperformance dos atletas paralímpicos é realmente incrível. Só para se ter ideia, em uma prova de atletismo de 100 metros rasos, a diferença entre um atleta olímpico e um paralímpico pode ser de menos de um segundo. Para chegar lá, no entanto, eles dão duro: no mundo do alto rendimento é preciso superar os próprios limites. E é aí que a ciência pode ajudar. Muitas das medalhas conquistadas na Paralimpíada de Londres, em 2012, e as próximas que certamente virão no Rio, tiveram como ponto de partida o Núcleo de Alto Rendimento (NAR), em São Paulo, local que une o melhor de um centro de pesquisas com o melhor de um centro de treinamento.

Confira a matéria completa aqui.

Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support